iG - Internet Group

iBest

brTurbo


12/12 - 08:00hs

Promessas do humor: fazer rir é a rotina desses artistas, no palco ou na TV

Marília Neves, iG São Paulo

Primeiro veio o “boom” da stand-up comedy no teatro, onde artistas comandam, sozinhos, um espetáculo inteiro -- em pé no palco (por isso o "stand-up") -- e arrancam risos da plateia do começo ao fim. Com tanto sucesso de público e repercussão sobre a novidade no humor brasileiro (o formato é consagrado lá fora, especialmente nos EUA), a TV virou suas câmeras para estas estrelas do "humor em pé".

 

Devagarinho, as emissoras foram ficando repletas desses artistas que, sem apelar para a tecnologia e contando apenas com sua capacidade cômica e jogo de cintura, divertiam o público nas casas de espetáculo. A próxima tendência foi essa turma se unir em grupos. Em vez das estrelas solitárias dos palcos, na TV eles trabalham juntos, em programas como o “Quinta Categoria”, da MTV, do “É Tudo Improviso”, da Band -- ambos voltados especificamente para o improviso -- ou incrementam a programação de atrações como o “Show do Tom”, da Record, e “A Praça é Nossa”, do SBT.

 

OS VELHOS FORMATOS ULTRAPASSADOS

“O Brasil sempre teve uma história de humor na TV, mas que de uns anos pra cá tinha ficado restrita aos formatos ultrapassados exibidos em uma ou duas emissoras. Acho que o fato de o stand-up ter levado tanta gente ao teatro ajudou a enxergar novos talentos e levá-los à TV”, comenta Marianna Armellini, do “É Tudo Improviso”. 

 

 

Marianna Armellini, do "É Tudo Improviso". O programa entraria no ar apenas para cobrir as férias do "CQC", mas ganhou espaço fixo na programação

 

Aos que duvidam que o nome da atração se remeta exatamente ao modo de trabalho do grupo, ela ressalta: “Claro que é improvisado, esse é o nosso trabalho! Obviamente temos um treinamento que nos possibilita sermos mais rápidos e criativos, mas como as pessoas não sabem desse detalhe, pensam que não seríamos capazes de fazer tudo aquilo ali, na hora. Mas é como duvidar que um dançarino possa criar uma coreografia de momento, ou que um músico não consiga improvisar com outros músicos numa jam session”. Mariana está na TV, mas não abandonou seu “berço”: segue nos palcos com o espetáculo “As Olívias”, em cartaz já há alguns anos.

 

 

Mariana (segunda da esquerda para direita) com as colegas de elenco da peça "As Olívias"

 

NA ROTA DO MESTRE

Vindo do rádio e dando os primeiros passos no teatro, Rudy Landucci conquistou uma brecha ao lado do já consagrado humorista Tom Cavalcante. Rudy participa do quadro O Curral, no “Show do Tom”, que satiriza o reality “A Fazenda”.

Para ele, Tom passou de ídolo a patrão. “Quando eu tinha 12 anos, o assisti aqui em São Paulo no Teatro do Shopping Eldorado, que hoje se chama Teatro Das Artes. Saí do show fazendo imitações do Tom e depois disso fui me descobrindo”.

 

 

Rudy Landucci: "Sou meio hiperativo"

 

O lado humorista do radialista surgiu quando ele era ainda criança. “Meu pai diz que minha primeira referência foi o Sérgio Mallandro. Ele conta que, quando eu tinha 5 anos, invadi o palco do circo do Mallandro pra fazer palhaçadas com ele”. Hoje, Rudy imita Sérgio na atração da Record.

 

Edu Moraes/Record
Rudy Landucci com Sérgio Mallandro durante o quadro O Curral, no "Show do Tom"

 

ABAIXO A SAIA-JUSTA

Esses artistas que trocaram o palco pela TV não passam mais pelas saias-justas comuns para quem está em contato direto com o público. “Uma vez, eu estava me apresentando no teatro e no meio do meu show entrou uma mulher de óculos escuros. Na hora eu falei: "Chegou atrasada e ainda vai tomar sol?’”. De resposta, ouviu que a espectadora usava o acessório porque tinha acabado de operar o olho. “Fiquei muito sem graça”, confessa.

 

Quando se faz humor no improviso e se brinca com a platéia, os micos fazem parte do show. Rogério Morgado, que foi um dos finalistas para ocupar o cargo de oitavo integrante no “CQC” (a vencedora do concurso foi Mônica Iozzi), conta que já passou por um problema parecido, mas o mal estar foi causado por, segundo ele, pura hipocrisia. “Já aconteceu de eu contar uma piada de anão e os politicamente corretos apontarem para a plateia, para indicar que tinha anão no público! Eu vi e não me importei. Era uma piada, todos riram, menos os que estavam ao redor do anão. No final, o próprio veio me dizer que tinha adorado a piada”.

 

 

Rogério Morgado: "Danilo Gentilli foi o cara que mais me incentivou"

COMEDIANTE COM UM ROTEIRISTA EMBUTIDO  

Por enquanto, Rogério não tem “casa fixa" na TV, mas já participou de diversas atrações em emissoras variadas. Mesmo assim, ele indica um artista como sua maior referência no humor. “No stand-up, sem duvida é o Danilo Gentilli (repórter do “CQC”), que foi o cara que eu mais vi se apresentar e que me incentivou a fazer.”

 

 

Rogério Morgado: "O CQC abriu essa porta quando encontrou no stand up três de seus repórteres.  Por ser um tipo de humor bem autoral, os diretores viram que ali estavam profissionais do humor com um roteirista embutido!"

 

Além de Rogério, Rudy e Mariana, muitas outras estrelas que surgiram do palco e estouraram nas telinhas são as atuais promessas para o futuro do humor. Em comum, há um fato entre eles: todos sempre foram os brincalhões da turma. “Sempre fui o bobo da corte. Alguns achavam graça, outros não, mas o fato é que sempre fui o bobo! É aquela velha história: vou rir de mim primeiro antes que o façam de maneira grosseira!”, comenta Rogério.

 

“Sou meio hiperativo. Brinco, encho o saco, desde criança”, emenda Rudy, entre risos. Mariana conta que o humor foi sua tábua de salvação. “Brinco que tive que fazer isso para sobreviver a uma adolescência 'sofrida' – eu nunca fui a gatinha da turma e era extremamente tímida, então enfrentava tudo isso fazendo piadas sobre mim mesma.” 

E pra quem pensa que essa turma não perde a compostura nunca, eles confessam para o Babado o que os deixa de mau-humor.

 

Marianna Armellini: "Muitas coisas! Dormir pouco, ficar com fome, não ter tempo para o lazer. Atrasar pra algum compromisso – ou ficar esperando quem está atrasado. TPM e cólica, gente chata, lugares muito barulhentos... Atualmente estou fazendo uma dieta de ingestão controlada de açúcar que tem acabado com meu humor! Mas a verdade é que tem dias que a gente acorda mau-humorada e pronto, não tem um porquê. E tem dias que eu passo um baita perrengue num super bom humor. Acho que são os hormônios, vai entender..."

 

 


Rogério Morgado: "Pessoas que falam batendo em mim ou cutucando, espero que depois de lerem isso parem de fazê-lo. É irritante. E acordar me deixa de mau-humor também, por isso nem levanto da cama. Quando vejo que passou, aí que me levanto, pois aquela alegria matinal só existe em comercial de margarina." 

 

 


Rudy Landucci: "Injustiça, fazedor de média e puxa-saco."

 

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


publicidade

Contador de notícias