REMOTE

Um espírito ao vivo no estúdio

Nesta segunda-feira, 19 de novembro, o programa Bom dia, Mulher, da RedeTV!, apresentado por Olga Bongiovanni, trouxe como atração uma mulher chamada Márcia que mostrava fotos nas quais apareciam ‘espíritos’, explicando não apenas de onde vinham, mas também o que queriam. Não sei como ela obteve a procuração dessas almas mas, em uma das fotos, ela afirmava que o espírito da criança queria nadar na piscininha. Em seguida, ao ser perguntada sobre a existência de algum fantasma no estúdio, ela identificou um ‘encosto’ atrás de um rapaz da produção. Geraldo Magela, humorista mineiro presente no programa, teve um ataque de riso. Perguntou para o constrangido garoto se ele estava sentindo algum prazer por ter um encosto bem atrás dele. A risada foi geral. O que prova que Geraldo Magela, sim, tem presença de ... espírito.

 

 

O Desespero da TV

As emissoras abertas do Brasil estão visivelmente desesperadas. Algumas já demonstram sinais de que estão sem rumo e não sabem para onde ir, embora de vez em quando a gente tenha muita vontade de mandar certos programas e apresentadores para lugares bem populares. E o que mudou? O público. O público mudou. Não quer mais ficar na poltrona aguardando obedientemente os comandos da televisão. Na tentativa de recuperar a audiência com seu poder de convencimento as produções tentam colocar o telespectador no ar, principalmente os mais simples. A Rede Globo faz isso mostrando a periferia em sua tela (Regina Case, Fantástico). A Record faz shows de humor nas praças (Show do Tom) e concursos de beleza nas favelas (Hoje em Dia). O SBT volta a fazer seus shows de rua (Domingo Legal). Mas nem isso funciona, em alguns casos. Neste domingo(18), por exemplo, num feriado emendado e com jogo da seleção, o SBT marcava quatro pontos de audiência durante seu show de rua. Fraquíssimo.

Feriadão

A audiência deste domingo de feriado emendado foi tão ruim que às 18:00 horas, o número de televisores ligados de acordo com a prévia do Ibope em São Paulo, era de pouco mais de 40%.  Os números absolutos eram baixíssimo, especialmente para a Rede Globo. O quadro Bofe de Elite, de Tom Cavalcante, chegou a marcar 12 pontos, dois a menos do que a Globo. Minutos depois, a Globo já dobrava o placar, por 16 a 8.


Globo X Record

A rivalidade Globo X Record não é apenas uma disputa de grandes empresas de comunicação pela liderança na audiência. Os telespectadores-internautas também acompanham de perto como se fosse uma partida de futebol ou uma briga entre escolas de samba pela apoteose na avenida. Na Internet, os blogs de fãs de uma ou outra emissora não param de crescer. Todos são visivelmente fanáticos pelas emissoras. No YouTube os telespectadores mais fiéis abrem contas só para subir programas da Globo ou da Record. E no Orkut há comunidades para discutir exatamente a competição, tais como “Rede Record X Rede Globo”, “Globo News X Record News” e até duas comunidades com o nome “Record X Globo, a briga do século”. Parece coisa de Brasil X Argentina, na qual a Record pretende ser o retrato do Brasil e a Globo comporta-se com a famosa arrogância argentina que se julga européia.


Band

A Band está com problemas financeiros? Só isto explicaria o fato inesperado do site oficial da emissora de televisão ter anúncios em inglês do Google AdSense. Bizarro.

 

Amor e Intrigas

Bonitas as imagens da chamada da nova novela da Record, ‘Amor e Intrigas’. As imagens feitas em Minas Gerais geram interesse imediato. A trama é básica, com personagens definidos, cada um com uma característica evidente. A boazinha, a malvada, etc. Deve obter bons resultados. Trabalho profissional. A autora, Gisele Joras é escritora e foi a vencedora do primeiro concurso de autores de telenovelas da Rede Record.

 

Tropa tudo

O sucesso incessante de todos os quadros de televisão que parodiam o filme Tropa de Elite (sim, eles continuam dando resultados, todos) prova que boa parte da massa que vê televisão usa o mesmo critério para escolher programas e mulheres: com o máximo de valor estético e o mínimo de conteúdo. A televisão que o povo gosta é como a mulher que o povo elege, BBB, ou seja, brasileira, bonita e burra.


Por falar em falta de conteúdo

Diariamente ouvimos falar de artistas que fizeram plásticas, lipos e submeteram-se aos mais incríveis tratamentos estéticos. Pergunta: alguém já leu alguma notícia sobre celebridades que, depois de famosas e abastadas, foram estudar, fazer faculdade, MBA, pós-graduação ou decidiram aprender outras línguas? A resposta é ‘não’. Porque a TV aberta exige forma mas despreza conteúdo. É como se a TV fosse lugar exclusivo de pessoas de boa aparência e os meios impressos fossem para pessoas cultas porém menos dotadas de beleza. Aos belos e incultos, a imagem; aos feios e cultos, o texto. Sim, para toda regra há exceções. Na TV também tem profissionais feios E incultos ao mesmo tempo.

Granja do Torto

Não sei se é preciso citar nomes. Mas alguns apresentadores, cantores, atores que já passaram dos cinqüenta tem abusado tanto das cirurgias plásticas, com resultados tão assustadores de assimetria que, em breve, poderão construir uma residência oficial com o nome inspirador de ‘Granja dos Tortos’. Uma dessas mulheres, de tanto estica-e-puxa-e-injeta perdeu até a articulação da boca. A palavra ‘entendendo’ por exemplo, sai pasteurizada, cremosa, uma espécie de ‘endendendo’. Triste.

 

Do jeito que a coisa vai...

Ser celebridade no Brasil é tão rentável, mas tão rentável que hoje, quando você pergunta para uma criança brasileira o que ela quer ser quando crescer, ela responde: “famosa!”. Um ex-BBB qualquer recebe por uma noite de presença em festa pelo menos cinco vezes o que um professora da rede de ensino estadual ganha por mês. Artistas de novelas podem ganhar mais de 30 salários mínimos por uma hora de presença. Com tantas vantagens talvez seja o caso de arrumar o cabelo, usar maquiagem e estar sempre pronta para qualquer câmera de portaria ao lado da placa ‘sorria, você está sendo filmado’.

 

Segredos e oportunismos

Pode ser só maldade. Ou paranóia. Mas duas notícias recentes nos incitam à idéia de puro oportunismo de marketing comercial e pessoal: Ana Maria Braga lançando seu livro de auto-ajuda na cola do sucesso de ‘O Segredo’ e Karina Bacchi revelando com três semanas de atraso que também teve seu Rolex roubado. Tem razão Selton Mello que critica a necessidade que algumas pessoas têm de não sair nunca da dita ‘mídia’.


Amaury Jr.

O apresentador está em alta da RedeTV. Tem patrocínio, tem público e, no seu segmento, não tem concorrentes. Amaury Jr. é rentável e por adotar um estilo sempre favorável e adulador, não tem grandes rejeições. O único problema é que às vezes a bajulação corporativa é tão explícita que o formato vira um ‘release eletrônico’. As pessoas jurídicas adoram.


 

RODAPE TEXTO