Babado






notícia publicada em 27/05/2001 às 10:00

Bate-Papo com a dupla "Em Busca da Fama"



Jefferson de Lima
Max Fivelinha, que assume o Em Busca da Fama neste domingo
Max Fivelinha, que assume o Em Busca da Fama neste domingo
Por Jefferson de Lima (jeff@ig.com.br) No domingo em que o Sociedade Anônima de Cazé Peçanha deixa de ser exibido na TV Globo, dois "anônimos" ganham programa na MTV. Criados dentro do VJ Por Um Dia, antigo programa de Cazé na MTV, Max Fivelinha e Levy assumem neste domingo (27) o Em Busca da Fama, programa voltado para os anônimos no canal. Desde a estréia, em 25 de março, Max Fivelinha e Levy colaboravam com a VJ Chris Nicklas no comando da atração. No começo do mês, a VJ saiu da MTV, durante renovação de contrato - deixando o Em Busca da Fama sob responsabilidade da dupla: o ex-laboratorista de uma indústria química em São Caetano (SP) e maquiador da MTV desde 1990 (Maximiano Machado da Silva, 38) e o ex-candidato do VJ Por Um Dia (Marcos Levy Rocha Correa, 22), que também apresenta o Álbum MTV, aos sábado, 12h30. Ainda com a saída de Chris Nicklas, o programa perdeu meia hora e passa a ser exibido das 18h30 às 19h30. Confira abaixo, entrevista – feita separadamente - com as crias do VJ Por Um Dia. Babado - O que muda no programa com a saída da Chris Nicklas? Max Fivelinha - A gente dividia o programa em três e agora vamos dividir meio a meio, mesmo. O programa está com mais velocidade. Os convidados eram quatro (anônimos que se apresentam para cantar, dançar, fazer malabarismo...) agora serão só três. Além disso, o Levy assumiu outros quatro ou cinco personagens, além do Imperador que ele já faz. Levy - Vai ter um Elvis (Presley), um segurança, um George Michael... Você também terá algum personagem? Max Fivelinha - Eu já sou um personagem. Já sou o Max Fivelinha. Mas vou fazer outros personagens também porque meus quadros são muito longos. Eles têm de ser muito mais bem humorados Babado - E como é que vocês dividem o programa agora? Max Fivelinha - Eu fico mais com as entrevistas, mais no meu estilo. O Levy apresentará o quiz (quadro em que os calouros têm de adivinhar nomes de bandas e músicas). O Levy faz aquilo, agora, que é demais, cara. Ele deixa as pessoas muito tensas. Babado – Mas qual é esse seu estilo, Max? Max Fivelinha - Despojado. Eu não quero perguntar para as pessoas se elas são pobres ou ricas. Quero entrevistar um anônimo como se fosse uma celebridade. Eu entrevistei o Tchan (no quadro Ilha de Fivelas, durante o verão), o Tchan que já vendeu milhões de discos, e o Sidney Magal e entrevistei pessoas que nunca tinham feito TV e fiz com as duas entrevistas com a mesma garra. Babado - Tem alguém em que você se inspira para fazer estas entrevistas? Max Fivelinha - Tem o Cazé, com que eu já trabalhei. Tem o João Gordo com quem eu trabalho (no Gordo a Go-Go). A Marília Gabriela, que eu acho o máximo... Babado – Tem alguém em quem você se inspira, Levy? Levy - Em quem eu me inspiro? Não, não... Você não é de falar muito, não é? Levy - Mas lá na hora eu incorporo a personagem lá. E aí vou falando. Babado - Inspiração. O Cazé? Levy - É. Já me falaram isso. Mas não acho, não. Eu faço lá e sai natural. Babado - Você apareceu num programa que tinha anônimos como tema e agora apresenta um programa sobre anônimos. Pode surgir um novo apresentador entre os convidados do Em Busca da Fama? Levy - Ah! Pode sim. Não tem idéia de aproveitar, não (no programa, o calouro vencedor "apenas" produz e apresenta um programa de uma hora). Mas como eu participei do VJ Por Um Dia (em 1999) pode aparecer alguém também. Pode aparecer...

Veja mais notícias de: MTV